Páginas

quarta-feira, 6 de abril de 2011

DESIGUAIS NA VIDA E NA MORTE

O texto a seguir nos deixa uma reflexão a cerca do que seria a estratificação social (separação dos indivíduos em classes sociais),a respeito da indiferença e da manipulação da midia sobre os sentimentos das pessoas ,a todo tempo nos deparamos com situações como esta em nossas vidas e nem se quer nos perguntamos porquê.A resposta é apenas uma ,a sociedade ,desde os primórdios foi moldada de forma que os ricos ,os bem-sucedidos sejam os valorizados .

DESIGUAIS NA VIDA E NA MORTE
Jurandir Freire Costa
A morte de Ayrton Senna comoveu o país. O desalento foi
geral. Independentemente do "big carnival" da mídia, todos perguntavam
o que Senna significava para milhões de brasileiros. Por que a perda
parecia tão grande? O que ia embora com ele?
Dias depois, uma mulher morreu atropelada na avenida das
Américas, Barra da Tijuca, Rio de Janeiro. Ficou esendinda na estrada
por duas horas. Como um "vira-lata", disse um jornalista horrorizado
com a cena! Nesse meio tempo, os carros passaram por cima do corpo,
esmagando-o de tal modo que a identificação só foi possível pelas
impressões digitais. Chamava-se Rosilene de Almeida, tinha 38 anos,
estava grávida e era empregada doméstica.(...) pode-se dizer, de um lado, o sucesso, o dinheiro,

a excelência profissional, enfim tudo o que a maioria acha que deu certo e deveria ser a cara do Brasil, do outro a desqualificação, o anonimato, a

pobreza e a promessa, na barriga, de mais uma vida severina.
O brasileiro quer ser visto como sócio do primeiro clube e não do
segundo. Senna era um sonho nacional, a imagem mesma da chamada classe
social "vencedora"; Rosilene era "o que só se é quando nada mais se pode
ser", e que, portanto, pode deixar de existir sem fazer falta. Luto e tristeza por
um; desprezo e indiferença por outro. Duas vidas brasileiras sem denominador
comum, exceto a desigualdade que as separa, na vida como na morte.
Folha S.Paulo, 1994, p.6-15.

Reflitam sobre a importancia de cada ser humano sendo ele um médico ou um pedreiro ,todos somos parte importante da sociedade e podemos mudá-la.