Páginas

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Minha Odisséia


O primeiro senso é a fuga.Bom, na verdade é o medo,
Daí então, a fuga.
Evoca-se na sombra uma inquietude,Uma alteridade disfarçada,
Inquilina de todos os nossos riscos,
A juventude plena e sem planos se esvai
O parto ocorre.
Parto-me. Parto-me. Parto-me. Parto-me.
Aborto certas convicções.
Abordo demônios e manias.
Flagelo-me.
Exponho cicatrizes.
(Trecho de Amadurescência O Teatro Mágico)

Quando os problemas nos sufocam e nos doem como calos ,temos que afrouxar o nó buscar uma paz que pensamos estar em outro lugar .Uma coisa é certa ,não podemos fugir de nós mesmos e a paz que buscamos está dentro de nós ,eu tentei fugir de tudo mas meus pensamentos me prenderam ,não posso simplesmente abandonar as coisas sem resolvê-las ,mas eu posso dar um tempo disso tudo ,esfriar a cabeça pra poder pensar melhor longe dessa confusão .
Voltei pro meu lugar ,não posso deixar que me tirem o que é meu simplesmente por desistido e esse tempo que tirei pra mim mexeu com as estruturas e agora eu espero que seja diferente ,venci o meu medo e agora me sinto mais calma .Que isso transborde de mim por uma ponte que vai de mim para o outro.