Páginas

domingo, 4 de setembro de 2011

Tristeza

Tristeza

Eu deixo a vida como deixa o tédio
Do deserto o poento caminheiro;
Como as horas de um longo pesadelo,
Que se desfaz ao dobre de um sineiro;

Como um desterro de minha alma errante,
Onde fogo insensato a consumia...
Só levo um saudade - é um desses tempos
Que amorosa ilusão embelecia.

Só levo uma saudade - é dessas sombras
Que eu sentia velar nas noites minhas...
De ti, ó minha mãe, pobre coitada,
Que por minha tristeza te definhas!

Descansem o meu leito solitário
Na floresta dos homens esquecida,
À sombra de uma cruz - e escrevam nela:
Foi poeta, sonhou e amou a vida...

Álvares de Azevedo

(1831-1852)

Hoje percebo porque os grandes poetas morreram tão cedo ,aguentar a sua dor e a dor alheia ,aquelas que eles tomam pra si como protesto ,como indignação é muito pesado ,mesmo um corpo tao jovem tem uma alma envelhecida dos sentimentos que carrega .As pessoas não podem entender a dor que causa não poder expressar sua indignação e sempre ser culpado pelas coisas mais adversas. Sentir demais implica em falar demais ,isso que as pessoas chamam de ser excêntrico ,ousado ou exibido .