Páginas

sábado, 8 de outubro de 2011

As rotas que eu faço

E se ando sempre apressado
Se nunca sei que horas são
É porque nunca se sabe
Até que horas os relógios funcionarão
(ENGENHEIROS DO HAVAÍ)

Salvador Dali em A Persistência da memoria , um quadro surrealista, retrata na flacidez dos relógios a preocupação com humana com o tempo e traz uma concepção de Einstein de que o tempo é algo relativo e não algo rígido e sólido como pensam as pessoas .
Realmente ,o tempo é o que fazemos dele, não percebemos ele passar quando fazemos algo prazeroso, mas com a correria do dia-a-dia ele nos foge e nos persegue pois estamos sempre atrasados.